Dr. Mário Mendes Nunes

Mário Mendes Nunes nasceu na Vila do Espinhal, concelho de Penela, em 13 de Março de 1938. Licenciou-se em História, dedicando-se à divulgação e preservação do património através do GAAC, Grupo de Arqueologia e Arte do Centro, de que era co-fundador. 
 
Mário Mendes Nunes foi vereador dos executivos camarários liderados por Carlos Encarnação (PSD) entre 2002 a 2005 e de 2005 a 2009, tendo tido a seu cargo o pelouro cultural.
 
Exerceu funções de secretário da direcção da Casa dos Pobres de Coimbra e de presidente do Conselho Fiscal do Clube de Comunicação Social de Coimbra, bem como de presidente da direcção da associação A Providência Portuguesa Casa da Mutualidade de Coimbra.
 
Na AFERM, Associação de Folclore e Etnografia do Mondego foi Presidente da Mesa da Assembleia-Geral e Vogal da Federação das Filarmónicas do Distrito de Coimbra.Na Casa de Infância de Elysio de Moura foi Relator do Conselho Fiscal daquela instituição.
 
Paralelamente à sua colaboração regular, com o Diário de Coimbra e outros jornais foi, ainda, director da revista “Munda”, director do boletim “A Previdência Portuguesa”, delgado em Coimbra, da revista “Artes Plásticas”. 
 
Nunca esquecendo a sua ligação ao concelho de Penela, mormente à Vila do Espinhal, foi autor dos seguintes livros: 
 
Filarmónica do Espinhal – Um século em prol da cultura, 1981; 
- Teatro Popular – O Julgamento do bacalhau no concelho de Penela, 1982; 
- As festas de Nossa Senhora da Piedade na Vila do Espinhal, 1983; 
- Memórias do passado e do presente – Espinhal e freguesia, 1986 Falar e entender linguagem popular (em extinção) na freguesia do Espinhal, 1987 
- Sociedade Filarmónica Penelense – 130 anos ao serviço da cultura musical, 1988
 
No que concerne à Vila de Pereira, destacam-se, entre outros, dois grandes contributos para a história recente desta freguesia: Foi o autor da fundamentação histórica entregue na Assembleia da República e que elevou Pereira à categoria de Vila, aprovada pelos deputados em 20 de Junho de 1991, que foi objecto de publicação no Diário da República, I série, n.º 96, de 16 de Agosto de 1991, pela Lei n.º 79/91. Foi co-autor, com António Correia Góis, do livro “Vila de Pereira”, 1992, obra integralmente patrocinada pela Fucoli, SA. 
 
Mário Mendes Nunes faleceu em 29 de Junho de 2013.